3 dicas para evitar os fungos e infecções nos pés

Atualizado el16 de julho de 2018, 15:59

O Colégio Oficial de Podólogos da Comunidade de Madrid alerta para a importância de prestar muito mais atenção aos nossos pés, na época estival. E é que, nesta época do ano:

  • Aumentam as infecções por fungos e bactérias. Devido ao calor e à umidade, estes proliferam em praias, piscinas, bares, carpetes de hotéis…
  • Disparam-Se os casos de fascite plantar e outras lesões na consulta do podólogo devido ao uso de chinelos.
  • O uso contínuo de esmaltes permanentes e semi-permanentes danifica as unhas, provocando também um aumento de infecções.

como prevenir os fungos nos pés

Nesta época, os pés têm mais risco de infecções por dois motivos basicamente: nos descalzamos com frequência em piscinas e praias, com o que o contágio é muito fácil.

E sudamos mais, o que facilita a proliferação de fungos.

Relacionado com este artigo

ENTREVISTA

Há muitos tipos de infecções por fungos ou micoses, mas uma das mais comuns é o pé-de-atleta.

  • O reconhecerá porque produz coceira, fissuras dolorosas, mau cheiro e raspa entre os dedos e também na planta do pé. Se acontecer, vai ao dermatologista, para que não se espalhe. É tratada com antifúngicos locais e, em casos graves (pouco frequentes), orais.

Para manter os fungos tenha em conta:

  • Controla o suor. Existem desodorantes específicos antitranspirantes que taponan em certo grau os poros por onde sai o suor, controlando assim a umidade.
  • Desinfeta, se necessário. Se você observar rachaduras entre os dedos, aplique um anti-séptico para facilitar a cicatrização e evitar a infecção.
  • Secar muito bem entre os dedos após o banho. Se você tem tendência a sofrer fungos usa algum produto secante, como os pós de talco antes de calzarte.
  • Use chinelos ou sapatilhas de borracha em piscinas, saunas, academias e áreas públicas, onde você está em contato direto com a umidade. É muito importante evitar ir descalços nestes ambientes.
  • Opte por calçado que permita a transpiração, se possível, de pele ou de materiais naturais. Assim, você evita o atrito e umidade. Procura evitar o tênis muito fechados.
  • Se você estiver usando meias, cómpralos de tecidos naturais, troque-os diariamente e espolvoréalos com um antifúngico se você tem tendência a se suden os pés.
  • Mantenha seus pés hidratados. A secagem favorece as feridas nos pés e também a aparição de microoganismos infecciosos.

1. Olho com usar (muito) os chinelos

Desde o Colégio Oficial de Podólogos de Madrid asseguram que neste época do ano venha com muitas lesões nos pés , o uso deste tipo de calçado que, segundo os especialistas, não é nada recomendável.

O problema flip-flops é que, ao não segurar bem o pé, há que colocar os dedos em garra para aumentar a estabilidade. Esta posição pode causar luxações, fraturas, torções, entorses no tornozelo, tendinite ou fascite plantar (inflamação na planta do pé que provoca dor e dificuldade para caminhar).

2. A importância de escolher um bom calçado

Os podólogos garantem que o mais importante, antes de tudo, é que seja de boa qualidade e de acordo com a atividade que se vai realizar.

Relacionado com este artigo

sem dor

Além disso, o calçado deve segurar bem o pé, tanto na área do peito do pé do tornozelo e ter um salto de cerca de 4 cm, nem mais nem menos, para manter uma certa curvatura da coluna.

E é fundamental que seja respirável. Caso contrário, o pé suar e aumenta o risco de fungos.

Aconselha-Se também comprá-lo pela tarde, quando o pé está um pouco dilatado depois de horas de atividade. Tenha em conta que um sapato justo favorece o aparecimento de assaduras, bolhas e calos.

3. presta atenção ao Esmalte de unhas

É um dos produtos mais usados no verão. De fato, há mulheres que passam todo o período estival com as unhas pintadas, no entanto, isto não é nada recomendável, uma vez que a unha não respira.

Os especialistas recomendam aplicá-lo durante uma semana ou duas no máximo, e descansar outros tantos dias.

Além disso, os esmaltes são um dos cosméticos que mais provocam alergias. Para evitar isso, limita seu uso e cómpralos 3, 4 ou 5 free, que quer dizer que estão livres dos 3, 4 ou 5 tóxicos mais comuns.

Deixe uma resposta