15 dicas para prevenir os cânceres digestivos

Atualizado el08 de maio de 2018, 17:05

A Cada ano são diagnosticados 62.000 casos de cancros do tracto digestivo em Portugal. São os tumores mais comuns no Ocidente. De facto, em Portugal, o cancro mais frequente afeta o aparelho digestivo: o câncer de cólon.

A boa noticida é que, tal como foi reconhecido pela comunidade médica, quase a metade desses tumores podem ser evitados com hábitos saudáveis.

Saber Viver revisou os últimos estudos e reuniu os melhores dicas para afastar este tipo de tumores. E só depende de você colocá-los em prática.

Câncer colorretal: comum e evitável

1. Reduz o consumo de carne vermelha

Um relatório aprovado pela ONU identificou o consumo regular de carne vermelha e processada como causador direto de câncer colorretal, e compara o seu potencial carcinogênico com o do tabaco.

Relacionado com este artigo

câncer

A explicação parece lógica: este tipo de alimentos ricos em proteínas e gorduras animais permanece mais tempo no intestino e provoca prisão de ventre. Como consequência, geram tóxicos que poderiam favorecer a formação de tumores.

2. Menos açúcares e gorduras

Um estudo da Universidade de Harvard (estados unidos). UU.) dirigido por Fred Tabung revela que as pessoas que costumam comer gorduras e açúcares têm níveis elevados de proteína C-reativa (CRP) no sangue. Esta substância provoca inflamação, apenas o que precisam as células cancerosas de crescer.

3. Toma grão inteiro

Arroz integral, pão de centeio… Um estudo do Instituto Americano do Câncer revela que tomar 90 g de cereal integral por dia reduz em 17% o risco de câncer de cólon. Qual a razão? A fibra que contém realiza um “efeito de vassoura”, limpando o cólon de impurezas.

4. Que não lhe falte vitamina B6

Um novo estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition revela que níveis elevados no sangue de vitamina B6 reducen em 50% o risco de cancro colo-rectal. E é que este nutriente diminui os marcadores inflamatórios do organismo.

Relacionado com este artigo

Saúde e Nutrição

Os frutos secos, as sementes de girassol, amêndoas, as castanhas de caju e o peixe (bacalhau, salmão, truta e atum) são uma boa fonte.

O estômago, relacionado com o sal

5. Olho com os alimentos defumados ou salgados

A maioria dos tumores de estômago são provocados pela Helicobacter pylori, mas muitas pessoas que a têm e não terão jamais câncer.

O “problema” é se dispõe a bactéria e, além disso, é consumir alimentos ricos em sal. E é que a H. pylori tem a fatídica capacidade de converter os nitritos e nitratos, que são os defumados ou curados, em compostos químicos que danificam a mucosa interna do estômago, justo onde se originam as lesões

6. Monitora com o omeprazol

Um estudo publicado na revista “Gut” revela que o seu abuso duplica o risco de câncer de estômago.

Relacionado com este artigo

Info-Medicamentos

Um dado a ter em conta, já que é o medicamento mais vendido em Portugal.

7. Combata o sedentarismo seja como for…

Um estudo do Centro de Investigação Biomédica em Rede, conclui-se que as pessoas que dedicam mais tempo às tarefas domésticas “afastam” este tumor. Qual o motivo? Sofrem menos obesidade, fator de risco para o câncer de estômago.

8. Segue a Dieta Mediterrânica

Pesquisadores espanhóis estudaram a relação entre o risco de sofrer um tumor gástrico e 3 padrões de dieta habitual entre a população portuguesa, que são os que mostramos para a direita. O resultado? A Dieta Mediterrânea pode reduzir até 30% o número de casos.

Deixar os irritantes afasta o de esôfago

9. Controla a azia e o refluxo

Os ácidos que sobem para a boca (quando funciona mal é a válvula que impede a sua passagem) irritam a mucosa dessa região e favorecem o esôfago de Barrett, uma condição que aumenta 30 vezes o risco de sofrer um câncer.

10. E acompanha com outras substâncias

O fumo do tabaco e o álcool são dois dos elementos que mais danificam o revestimento do esôfago. E suspeita-se que o mesmo ocorre ao respirar gases tóxicos ou, por exemplo, ao ingerir lixívia de forma acidental.

O fígado não é apenas o álcool

11. Respeite seus “ciclos naturais”

Alterar o ciclo circadiano provoca alterações metabólicas que podem levar a sofrer do fígado gorduroso, o que aumenta o risco de ter esse tipo de tumor.

Relacionado com este artigo

Cuide de si

Os especialistas alertam que isso pode ocorrer quando descansar mal ou levar horários irregulares na hora de dormir, comer… O descobriu um importante biólogo depois de observar que as pessoas que sofrem de jet lag” de forma crónica, o risco de ter este câncer é maior.

12. Certifica-te de que não te falte selénio

O que você ganha de alimentos como frutos do mar, salmão, ovos, cebolas, e pode ser a chave para afastar o câncer de fígado. E é que, de acordo com a Agência Internacional para Pesquisa sobre o Câncer, em pessoas com bons níveis de selênio este tumor é menos habitual.

13. Mantenha o colesterol a listra

Uma pesquisa recente no Brasil foi descoberto uma ligação entre o colesterol, a inflamação, o que pode implicar o risco de câncer de fígado. Sugerem que controlar seus níveis é uma medida eficaz para prevenir o seu desenvolvimento.

Câncer de pâncreas, um dos mais temidos

14. Evita tudo o que inflama

Uma pancreatite (uma inflamação desse órgão) pode preceder a sua tumoración. Isso pode indicar que a inflamação é, em parte, responsável pelo desenvolvimento deste tipo de tumor. Parece que esta teoria toma força, uma vez que o Centro Nacional de Investigações Oncológicas, foi verificado que um gene que regula a inflamação está envolvido no seu desenvolvimento. Assim, reduzir tudo o que inflama afasta o risco: evite as gorduras trans, o álcool e os açúcares.

15. O tabaco, bem longe

Antes pensava-se que o maior responsável pelo câncer de pâncreas que era o álcool. No entanto, as pesquisas mais recentes têm demonstrado que el fumar pode ter efeitos sobre o pâncreas tão graves.

Deixe uma resposta