12 dicas para cuidar do seu coração

Atualizado el21 de julho de 2018, 21:11

Seguir hábitos de vida saudáveis impediria 80% dos acidentes vasculares cerebrais, segundo a Fundação Espanhola do Coração. Tome nota de alguns dos mais destacados:

1. Baixar a tensão EVITA ataques cardíacos

A hipertensão é um dos fatores que mais eleva o risco de sofrer um infarto. Conforme se deduz do macroestudio americano conhecido como SPRINT9, com níveis de pressão arterial de 12/8 há uma melhor sobrevivência.

Por isso, tomar medidas para atingir esses níveis de tensão é fundamental. A Dieta Mediterrânica é a mais recomendada pela Sociedade brasileira de Hipertensão, por ser rica em verduras, legumes, frutas e derivados lácteos baixos em gorduras. Meia hora de caminhada diária, ou de um exercício físico moderado é muito útil para evitar este transtorno.

2. Comer frutas CUIDA CORAÇÃO

Para proteger a sua saúde geral e manter o seu coração em bom estado, convém tomar fruta diariamente: apenas consumindo uma peça por dia reduz em até 34% o risco de desenvolver um problema cardíaco, como mostra um recente estudo da Universidade de Oxford.

E é que a fruta é cardioprotectora por sua riqueza em potássio, fibra, ácido fólico, antioxidantes e fitoquímicos. Se você comer 3 ou 4 porções ao dia, melhor.

3. O TRABALHO E A SAÚDE CARDÍACA

Excederte na quantidade de horas que dedica a trabalhar prejudica a sua saúde cardiovascular a longo prazo. A partir de 46 horas de trabalho semanal aumenta o risco de sofrer um ataque cardíaco, angina de peito ou outros tipos de falhas cardíacas, de acordo com uma pesquisa do Centro de Ciências da saúde da Universidade do Texas.

4. Beber chá afasta riscos coronários

Se você gosta de chá, de qualquer tipo, (verde, vermelho, preto…), você vai encontrar nele um aliado estrela para o seu coração. As pessoas que tomam pelo menos um copo por dia têm 35% menos de chances de ter um problema cardiovascular, em comparação com as que não o fazem, de acordo com um estudo do Hospital Johns Hopkins (EUA). UU.) o que demonstra que esta bebida impede os depósitos de cálcio nas artérias.

Também ressalta os benefícios outro estudo da Universidade do Texas (EUA). UU.) em português as propriedades antioxidantes do chá, especialmente se você não é adicionado açúcar.

5. AS EMOÇÕES TE PREJUDICAR

Cuidar do seu bem-estar emocional é básico para manter uma boa saúde cardíaca. A tristeza, raiva ou até mesmo o excesso de euforia podem desestabilizar até o coração mais saudável. Embora o risco absoluto de sofrer um infarto associado a emoções intensas é baixo, existe.

Assim, evita, na medida do possível, situações que se alterame se você não tem mais remédio que enfrentar-se a eles, faça-o com serenidade, tentando relativizar o momento e ajudando de técnicas de relaxamento.

6. Assim, afeta a ansiedade no coração

A raiva e a ansiedade são duas emoções disparam até 750% o risco de infarto nas duas horas seguintes a ter sentido com intensidade, de acordo com um estudo do Royal North Shore Hospital de Sydney (Austrália).

Se ocorrer situações intensas de raiva ou ansiedade, o risco aumenta de 8,5 a 9,5 vezes desde esse mesmo momento, até um par de horas depois. O aumento da freqüência cardíaca, da pressão arterial e da coagulação, assim como o endurecimento dos vasos sanguíneos que se dão durante estes episódios emocionais formam uma combinação muito prejudicial para o coração.

7. dormir evita ataques cardíacos

Passar noites dando voltas na cama sem dormir transporta nervos, cansaço, irritabilidade... mas, além disso, aumenta o risco de sofrer um ataque cardíaco. As pessoas com problemas para conciliar o sono quase diariamente têm um 45% a mais de chances de ter um infarto, de acordo com um estudo da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia.

Os maus hábitos são os responsáveis pela insônia. Assim, é fundamental seguir alguns horários regulares, evitar jantar, pesadas e fazer um pouco de exercício durante a tarde, o que permite conciliar o sono com facilidade e mantê-lo.

8. RELAÇÃO DO COLESTEROL E O CORAÇÃO

Ultrapassar os 240 mg/dl duplica o risco de ataque cardíaco, de acordo com a Sociedade Espanhola de Cardiologia (SEC). De todos modos, considera-se que o nível da lipoproteína LDL (colesterol ruim) deve estar abaixo de 160 mg/dl. Além disso, o ideal é ter o “bom” colesterol (HDL) acima de 40 mg/dl.

Se há muito LDL-colesterol em seu sangue (o mau), a circulação pode piorar. Para baixar o nível, a Sociedade Portuguesa de Aterosclerose aconselha evitar o excesso de peso, não fumar, fazer exercício físico regular e uma dieta rica em vegetais e peixe.

9. o emagrecimento se dá saúde

Acumular gordura na região abdominal não se deve preocupar apenas por estética: também predispõe a doenças cardiovasculares, já que há células de gordura que criam substâncias inflamatórias que afetam o tecido cardíaco. Também há que se agrave a tensão. Tenha em conta que cada quilo de peso que você perde reduzir 1 cm de cintura e, assim, o seu corpo vai se afastando possíveis transtornos.

10. Dentes saudáveis, coração forte

Cuidar das suas gengivas é fundamental para impedir que as bactérias que existem na boca acabem chegando ao coração e o danifique. Acha que uma gengivite (infecção das gengivas) não resolvida pode resultar em uma periodontite, que chega até mesmo a afetar a circulação. Para evitar que isso aconteça, você deve manter uma boa higiene bucal (cepíllate os dentes 2 ou 3 minutos de forma suave, mas intensa) e visitar o dentista uma vez a cada ano.

11. SEU RISCO, SE VOCÊ É MULHER

Em mulheres com déficit hormonal, problemas de ovulação, sem ovários ou menopausa precoce há mais risco coronariano”, alerta o Dr. Henrique Galve, do Hospital Vall d’Hebron. Se é o seu caso, sométete a exames médicos periodicamente.

12. DEIXAR DE FUMAR, IMPRESCINDÍVEL

O tabaco afeta o coração, tanto no seu funcionamento interno como na circulação sangüínea. Enquanto que os homens baixa o seu consumo, em que as mulheres não para de subir , e isso as torna mais vulneráveis a doenças cardíacas.

os desgostos e os acidentes vasculares cerebrais

Existe uma doença cardíaca chamada cardiomiopatia por estresse ou de tako-tsubo (a identificaram médicos japoneses na década de 90), que se conhece popularmente como Síndrome do Coração partido. Trata-Se de um ataque cardíaco e que é acionado normalmente após um forte desgosto, com os mesmos sintomas que o infarto do miocárdio (dor no peito, dificuldade para respirar…) e que enfraquece o coração, ainda que de forma transitória.

  • A origem deste distúrbio não está de todo claro, mas os especialistas apontam que se produz por um grande aumento de adrenalina e outros hormônios. Estas substâncias são gerados após um forte impacto emocional e fazem com que o ventrículo esquerdo do coração é disforme, e parecer que está infartando.
  • A maioria dos pacientes se recuperam do todo em poucas semanas e a mortalidade é inferior a 5%, mas podem surgir complicações graves em um de cada cinco casos, segundo dados da Fundação Espanhola do Coração.

Como reagir diante de um ataque

  1. Se te acontece a ti, e estas só: lança-te de barriga para cima para facilitar a respiração. Tomar uma ou duas aspirina (se o seu médico lhe deu o visto bom diante dessa possibilidade). Permita-se um leve massagem no centro do peito. Avisa a alguém próximo (um vizinho, um familiar…) ou ligar para o 112 sem tardar.
  2. Se você tem que ter um infartado: estírale totalmente na horizontal. Pede uma ambulância imediatamente. É melhor levá-lo ao hospital. Enquanto espera ajuda médica, golpéale ritmicamente no peito. Dê aspirina ou, se você tiver ela, nitroglicerina sublingual.

Deixe uma resposta